Não vale a pena correr riscos

capa 2

Os custos de implantação dos sistemas de proteção é um fator importante e deve ser considerado pelas empresas

No Brasil, é grande o potencial de crescimento do mercado de proteção contraexplosões, como um todo. Em relação aos sistemas de detecção e extinção de faíscas, em particular, a indústria de madeira já utiliza esse tipo de solução há muitos anos, uma vez que o risco de acidente nesses ambientes é grande. Entretanto, há setores onde a conscientização em torno do problema ainda precisa evoluir. “Quanto antes houver a divulgação dos riscos de explosão e suas causas, melhor será a prevenção de explosões e a segurança das plantas de processo também irá melhorar”, comenta Paulo Raña, executivo que atua na área de Vendas da Adix no Brasil.

Claro que o custo de implantação dos sistemas de proteção é sempre um fator importante a ser considerado pelas empresas. Entretanto, não se pode esquecer que a ocorrência de um incêndio ou explosão pode gerar sérias ameaças à vida, além da destruição parcial ou total da planta de processo, com consequente perda do mercado. “Estes riscos são algo que nenhuma empresa deveria permitir. Ademais, na maioria das plantas de processo não são muitos os pontos onde se produzem faíscas. Portanto, o custo de implantação dos sistemas de detecção e extinção é totalmente admissível pela maioria das empresas, melhorando muito a segurança da planta, em relação ao custo suposto para sua implantação”, pondera Paulo Raña.

Player espanhol aposta no Brasil

Fundada em 2001, a Adix Engineering Ltd. fabrica, comercializa e distribui equipamentos de proteção contraexplosões. Com sede em Madrid, na Espanha, a companhia mantém representação comercial em diversos países do mundo, como Canadá, México, Estados Unidos, Alemanha, França, Itália, Portugal, Turquia, Reino Unido e agora no Brasil. O escritório local fica na cidade do Rio de Janeiro.

Sobre sua atuação no Brasil, a Adix mantém expectativas de crescimento no mercado. “Com novas normas, maior conscientização, exigências legais e das seguradoras, as empresas investirão mais em segurança contraexplosão, seguindo o que tem sido feito em outros países há muito tempo”, destaca Paulo Raña.

A expertise da Adix levou a empresa a desenvolver o que ela chama de Soluções 360º. Por meio desse sistema, a companhia procura auxiliar o cliente a manter a segurança de sua planta de forma integral. A estratégia gira em torno de três pilares: Assessoria (definição da estratégia de proteção contraexplosões), Produtos (fornecimento de equipamentos e sistemas de proteção) e Formação (transmissão de conhecimento através da realização de cursos voltados ao mercado). AAdix informa ainda que possui o certificado IsmATEX, credenciado pela organização francesa INERIS.

FONTE:  Revista Potência, Edição 126

http://revistapotencia.com.br/download/revista/edicao-126.pdf