Gerar para consumir

160511 - PROEX - Noticia revista

Apesar dos obstáculos, as fontes renováveis de energia vêm ganhando espaço no Brasil

A energia fotovoltaica é uma das fontes renováveis que vêm ganhando cada vez mais espaço no Brasil. Ela proporciona diferentes benefícios, tais como: autossuficiência no consumo de energia elétrica e preservação do meio ambiente, mas ainda existem obstáculos que impedem que os consumidores residenciais ou comerciais adotem essa prática.

Visando incentivar pessoas a adotar essas práticas sustentáveis o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Cuiabá (MT) – Centro Sebrae de Sustentabilidade (CSS), instalou, recentemente, duas micros usinas solares, sendo uma de 45kWp e uma de 75kWp, que gerarão em torno de 67.500kWp e 112.500kWh, respectivamente, com capacidade para abastecer mil residências de pequeno porte.

A edificação foi projetada e construída de acordo com os princípios de construção sustentável e, em virtude disso, o prédio conquistou o Selo Procel e tem nível “A” para as categorias “Projeto” e “Edificação Construída”. Todo o processo de instalação durou em torno de cinco meses – período de 15 de dezembro de 2015 a 20 de maio de 2016. As usinas solares abastecem o Centro Sebrae de Sustentabilidade e a sede do Sebrae (MT). A instalação igualmente faz parte de uma estratégia do Sebrae para obtenção do certificado internacional no “Breeam”, certificação do Reino Unido, e uma das mais utilizadas no continente europeu.

Exemplo a ser seguido

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) regulou o registro de Central Geradora de Capacidade Reduzida (CGCR), em duas modalidades: uma que permite que o interessado venda a energia produzida e outra na qual a energia injetada na rede pode ser compensada em relação à energia consumida.

As duas micro usinas vão funcionar também como unidades demonstrativas para pesquisas sobre as variáveis que influenciam a geração de energia solar, como temperatura, umidade, isolação, rendimento mensal, custos, etc. Entre as características sustentáveis da edificação, também se destacam o baixo consumo de energia e de refrigeração; melhor aproveitamento da iluminação natural; conforto térmico; utilização de equipamentos eficientes; uso de água de chuva no sistema de abastecimento e manutenção; integração e preservação da vegetação nativa e respeito às condições do terreno.

 

Detalhes do projeto

A instalação dos sistemas fotovoltaicos foi fornecida no regime “turn key”. A WEG se responsabilizou pelo detalhamento do projeto executivo, fabricação de quadros elétricos fornecimento de equipamentos e materiais de instalação, bem como do processo de regularização da instalação junto à concessionária local. A geração de energia, caso haja excedente na produção fotovoltaica com relação ao consumo mensal, será jogada na rede da distribuidora. Desse modo, uma unidade consumidora produziu, em um determinado mês, 250kWh, e neste mesmo mês, houve um consumo de 200kWh. Essa diferença será injetada na rede elétrica e poderá ser compensada no mês seguinte.

Quando houver um consumo menor do que a energia que está sendo gerada (nos feriados e finais de semana, por exemplo), o excedente será injetado na rede de distribuição, gerando créditos de energia, podendo ser consumido em períodos de baixa geração (dias nublados ou chuvosos), ficando disponível por até cinco anos seguintes.

 

FONTE e matéria na integra: Revista Lumière Electric, edição n°218, página 87.