EXPLORAÇÃO SEXUAL INFANTIL

O Grupo Rosa Leal contra Exploração Sexual Infanto-Juvenil

A Childhood Brasil e o Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social propuseram um pacto empresarial com a finalidade de envolver as empresas, estimulando-as a assumir publicamente, no âmbito de suas práticas de responsabilidade social, o compromisso de se engajar em ações contrárias à exploração sexual de crianças e adolescentes. Assim, pelo cumprimento da Lei do Artigo 227, o Grupo Rosa Leal é signatária da Declaração de Compromisso Corporativo no Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República em parceria com o Sistema FIRJAN, Petrobrás e o Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável.

Art. 227 – “É dever da família, da sociedade, e do Estado assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.”

Neste sentido, estamos comprometidos com o desenvolvimento de ações para prevenir, repudiar e denunciar a exploração sexual de crianças e adolescentes, bem como, divulgar estas ações concretas e efetivas no que concerne a sensibilização da sociedade em geral, ampliando inclusive, a pauta de responsabilidade empresarial.

Política de proteção às crianças e adolescentes

O Grupo Rosa Leal se compromete com a proteção de crianças e adolescentes no Brasil e estimula, junto a seus funcionários, fornecedores, clientes e à comunidade, a participação neste processo que visa:

Colaborar para que toda criança e adolescente usufrua o direito de crescer livre de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão;

Sensibilizar toda cadeia produtiva para que diminuam qualquer ação que caracterize a exploração sexual ou trabalhista de crianças e adolescentes;

Contribuir com a família e o Estado, de forma socialmente responsável, para que crianças e adolescentes se desenvolvam com base na ética e educação continuada